A Guia da Previdência Social (GPS) é o documento destinado ao recolhimento das contribuições previdenciárias realizadas por pessoas físicas, profissionais autônomos e até mesmo empresas.

É por meio do pagamento dessa guia que você vai se manter filiado ao INSS, podendo, assim, gozar dos benefícios previdenciários disponíveis e também da aposentadoria.

Portanto, conhecer o conceito e, principalmente, saber como emitir e pagar esse documento é um passo essencial para aquele que deseja realizar suas contribuições sem ter que contratar um serviço específico.

Neste artigo, procuramos trazer informações sobre a importância de se filiar à previdência social, como fazer isso e também como preencher, realizar o pagamento da GPS e obter seu extrato de contribuições junto ao INSS. Tudo de forma simples e muito prática. Acompanhe!

A importância de se filiar à Previdência Social

Aqueles que são funcionários da rede pública ou privada não precisam se preocupar com o pagamento do INSS, uma vez que esse valor é descontado em seu contracheque e repassado ao Instituto Nacional do Seguro Social, sendo a responsabilidade pelo pagamento exclusiva do empregador.

Mas essa realidade é um pouco diferente para os profissionais autônomos, liberais, domésticos ou, ainda, para as donas de casa, que podem aderir ao sistema como contribuintes facultativos.

Contudo, como o pagamento deve partir da iniciativa desses profissionais, justamente porque eles não têm vínculo com nenhuma empresa, muitas vezes essa obrigação é deixada de lado. Para desencorajar ainda mais esses cidadãos, a proposta de reforma trabalhista aumentou o tempo que a pessoa terá que trabalhar para poder se aposentar.

Mesmo assim, estar filiado ao INSS, além de obrigatório, é vantajoso, já que você não terá direito apenas a se aposentar, também poderá usufruir dos benefícios da assistência e da previdência.

A Guia da Previdência Social (GPS)

Os pagamentos ao INSS são realizados por meio da Guia da Previdência Social. Essa guia é um documento que reúne as suas informações de cadastro junto ao INSS e é por meio dela que você vai realizar as suas contribuições. Portanto, profissionais autônomos, empregados domésticos e outras pessoas físicas que não estão formalmente empregadas podem utilizar tal documento para recolher o valor devido ao INSS e computar as contribuições ao seu tempo de serviço.

A Guia da Previdência Social vincula o contribuinte por meio de seu cadastro no PIS/NIT e identifica o mês que está sendo pago pela informação incluída no campo de referência. Assim, o sistema informatizado do INSS identifica que determinada pessoa contribuiu nos meses informados na guia. Sendo assim, além de facilitar a vida dos contribuintes, a GPS tornou todo o processo de recolhimento mais seguro e transparente.

Informações necessárias para a emissão da GPS

Para que você possa emitir a Guia da Previdência Social e começar a realizar os pagamentos das suas contribuições, algumas informações básicas deverão ser fornecidas para o INSS. É com base em alguns dados que você vai poder gerar o documento de arrecadação. São eles:

  • o cadastro no NIT/PIS;

  • o tipo de contribuição escolhida.

Cadastro do PIS/NIT

Para emitir a sua guia, será necessário informar o seu número de PIS/NIT/NIS, pois é por meio dessa numeração que a Previdência Social fará a vinculação com o seu CPF. O cadastro é bem simples e pode ser feito no site do órgão ou pelo telefone 135. Porém, se alguma vez em sua vida você trabalhou como um funcionário devidamente registrado, esse código foi gerado automaticamente e não será necessário realizar outro cadastro.

Se você não sabe o seu número de PIS/NIT/NIS ou tem dúvidas se tem esse registro, é possível descobrir entrando nos mesmos meios de contato mencionados acima e realizar a consulta.

Tipo de Contribuição (CÓDIGO)

Para aqueles que nunca contribuíram, saibam que as alíquotas para recolhimento das contribuições podem ser:

  • 20% sobre a renda mensal, limitado ao teto do INSS, que atualmente é de R$ 5.645,80, que dará direito à aposentadoria por idade ou por tempo de contribuição;

  • 11% sobre o salário mínimo, que dará direito apenas à aposentadoria por idade.

O tipo de contribuição que você vai fazer é determinado por meio de códigos que correspondem àquelas alíquotas. Assim, temos:

  • o código 1007, destinado aos contribuintes que desejam pagar 20% sobre o total de seus recebimentos mensais(que dará direito à aposentadoria por idade ou por tempo de contribuição);

  • o código 1163, para aqueles que querem contribuir com apenas 11% sobre o salário mínimo vigente(que dará direito apenas à aposentadoria por idade).

Sobre a base de cálculo da alíquota (renda mensal), deve ser observado o teto máximo, que para o ano de 2018 é de R$ 5.645,80. Sendo assim, mesmo se você tiver um salário de R$ 10.000,00, o valor máximo utilizado para calcular o quanto você deve pagar é esse teto do INSS, e não a totalidade da sua remuneração.

GPS em atraso

Pode acontecer de você nunca ter contribuído ou ter deixado de contribuir por algum período. Nesse caso, é possível retomar os pagamentos. Se o valor for muito alto, é possível solicitar o parcelamento junto ao fisco. Para poder realizar o pagamento em atraso, basta que você se inscreva no INSS para obter o número de PIS ou NIT, que é a sua identificação na previdência. Esse cadastro pode ser feito das seguintes maneiras:

  • site do INSS;

  • telefone 135;

  • agência do INSS mais próxima da sua casa.

Depois preencha e emita sua guia conforme explicaremos abaixo. Caso o profissional já seja filiado ao INSS (tenha o NIT — número de identificação do trabalhador ou PIS) e esteja com as contribuições atrasadas, basta apenas pagar as parcelas devidas. Recomenda-se o apoio de um advogado da área, que possa analisar se os valores estão corretos, principalmente os juros cobrados.

Preenchimento da GPS

Para facilitar a vida do contribuinte, foram disponibilizados pelo INSS diversos meios de se preencher a guia para o pagamento das contribuições. Lembramos a você que, seja pela internet, seja por meio de preenchimento manual, as informações prestadas na guia são de responsabilidade exclusiva do contribuinte. Pensando nisso, mostraremos um passo a passo de como são feitos os preenchimentos da guia na forma eletrônica e manual, para que você possa fazer o procedimento com segurança.

Preenchimento da GPS pela internet

O procedimento de preenchimento da GPS pode ser realizado pela internet de forma muito simples. Primeiro, você deverá acessar o site da Previdência Social destinado à emissão desse documento. Nesse portal, você encontrará três links diferentes. O primeiro é destinado aos contribuintes filiados antes do dia 29/11/1999, o segundo para aqueles que foram filiados depois dessa data e o terceiro, que não será utilizado por você, para pessoas jurídicas.

Após verificar em qual dos perfis você se encaixa, basta clicar que o sistema vai direcioná-lo para uma espécie de página de acesso. Ali, você vai informar o seu número de PIS/NIT/NIS, a categoria (contribuinte individual) e o código de segurança (Capicha).

Feito isso, você entrará na parte de emissão efetiva da guia, em que você deve informar o valor do seu rendimento, a competência, que é o mês que está sendo pago e, por fim, selecionar o código e a data de pagamento. Inseridos esses dados, basta apertar o botão “gerar GPS” e imprimir a sua guia para realizar o pagamento, como vamos mostrar mais adiante neste artigo.

Preenchimento manual da GPS 

Também é possível realizar o preenchimento da GPS de forma manual com formulários próprios comprados em papelarias. Esse procedimento é dividido em 12 partes, mas também é muito simples de ser realizado. Confira neste passo a passo:

  • 01: seu nome completo;

  • 02: vencimento. Deve ser deixado em branco, pois é de preenchimento exclusivo do INSS;

  • 03: código de pagamento. Campo destinado à informação do código escolhido;

  • 04: competência. Mês de referência que está sendo quitado, por exemplo, 01/2018;

  • 05: identificador. Número do PIS/NIT/NIS;

  • 06: valor do INSS. Nesse campo você inserirá o valor que pagará e não a base de cálculo, como no exemplo da guia online;

  • 07 a 10: não devem ser preenchidos;

  • 11: total. Basta repetir o valor informado no campo 06;

  • 12: autenticação bancária. Campo destinado à gravação do comprovante de pagamento.

Pagamento da Guia da Previdência Social

A GPS pode ser paga em toda a rede bancária ou em casas lotéricas. Ela vence sempre no dia 15 do mês seguinte daquele que foi informado na guia. Por exemplo, se o mês da contribuição for 01/2018, o vencimento ocorrerá no dia 15 de fevereiro do mesmo ano. Portanto, cuidado para não confundir mês de referência ou contribuição com data de vencimento.

Agora você tem em mãos todas as informações necessárias para emitir a sua Guia da Previdência Social de forma correta, pode realizar o pagamento e desfrutar da segurança que o INSS pode proporcionar à vida dos brasileiros.

Extrato de pagamentos para o INSS

Existem algumas formas de você ter acesso ao extrato completo dos pagamentos realizados para o INSS. Você pode ir a uma agência do Instituto Nacional do Seguro Social e solicitá-lo. No entanto, terá que enfrentar uma espera que normalmente é longa. Você também pode consultar o extrato do INSS via internet. Essa maneira é mais prática e rápida. O acesso é realizado por meio do site Meu INSS.

O Meu INSS é uma central de serviços criada pelo INSS para facilitar o acesso do cidadão a informações sobre a sua vida laboral e também a serviços, como consulta de extratos, agendamento para dar entrada em benefícios e outros. Para consultar, entre no site Meu INSS e preencha seu cadastro. Você precisa de alguns dados básicos, como data da última contribuição e quando você se filiou à previdência social. Portanto, tenha em mãos seus documentos.

Após o cadastro, você será direcionado para uma página central, e ali poderá consultar seu extrato. Caso você já tenha o cadastro, basta entrar direto na página do extrato. Outra maneira de obter as informações é por meio do Banco do Brasil ou pela Caixa Econômica Federal, que já disponibilizam esses extratos em seus serviços bancários, mas apenas para correntistas.

Entendeu do que se trata a guia da previdência social e como utilizá-la da melhor forma possível? Esperamos que nosso artigo possa ajudar você nessa missão.

Gostou do post? Então, não deixe de ler também o nosso conteúdo sobre o amparo assistencial ao idoso. Boa leitura!