Muitos segurados ficam apreensivos ao requerer a aposentadoria por não saberem qual será o valor que receberão, tendo em vista que a renda depende da média dos salários, da idade e do tempo de contribuição.

Para sanar essa dúvida é possível fazer uma simulação de aposentadoria pelo site da Previdência Social, que dará um valor aproximado de quanto será recebido. Continue a leitura deste post para entender as regras básicas dos cálculos e veja o nosso passo a passo para simular o valor da aposentadoria.

Como funciona o cálculo do valor do benefício

Para compreender melhor a simulação de aposentadoria, é importante entender como funciona o cálculo do valor do benefício. Primeiramente, é preciso saber o que é o salário de contribuição e o salário de benefício utilizados para calcular o valor das aposentadorias.

Salário de contribuição

O salário de contribuição é o valor sobre o qual se calcula a contribuição previdenciária. É, basicamente, o salário que o empregado recebe ou que o autônomo declara receber. Lembrando que o salário de contribuição tem um teto — R$ 5.645,80 em 2018.

Salário de benefício

O salário de benefício para as aposentadorias é a média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição desde julho de 1994, ou seja, excluem-se os 20% menores para o cálculo. O resultado é o salário de benefício, que será a base para saber o valor da aposentadoria a ser recebida.

Esse valor pode ser simulado pela calculadora da Previdência Social, tendo em mãos os valores dos salários de contribuição. Explicaremos como fazer isso nos tópicos seguintes.

Diferença entre aposentadoria por tempo de contribuição e por idade

Essas duas aposentadorias possuem diferenças no cálculo da renda mensal, que variam de acordo com a carência, tempo de contribuição e idade do segurado.

Na aposentadoria por tempo de contribuição, o salário de benefício será multiplicado pelo fator previdenciário, que consiste em um multiplicador que leva em conta a idade, tempo de contribuição e expectativa de sobrevida. Entretanto, nos casos de preenchimento das condições das fórmulas 95 e 85, o fator previdenciário é facultativo.

Por outro lado, na aposentadoria por idade, basta encontrar a média aritmética simples dos 80% maiores salários de contribuição para obtermos o salário de benefício. Nesse caso, o fator previdenciário não é obrigatório, salvo se for benéfico.

Como calcular o tempo de contribuição

Para fazer saber o valor do benefício, é necessário calcular o tempo de contribuição. Nos casos de aposentadoria por tempo de contribuição, essa informação é essencial para verificar se atingiu o mínimo — 35 anos para os homens e 30 anos para as mulheres —, além de ser utilizado para o cálculo do fator previdenciário.

Já na aposentadoria por idade, o tempo de contribuição influencia no valor do benefício, pois a cada ano de contribuição a renda aumenta. Para fazer essa simulação, basta acessar o site da Previdência Social e selecionar “Simule sua aposentadoria”. Há duas opções para escolher: “Calcular tempo de contribuição” e “Calcular valor de benefício”.

Nessa etapa, é preciso escolher a primeira opção. Feito isso, faça login para carregar os seus vínculos automaticamente ou preencha os seguintes dados: data de nascimento, sexo, nome completo, nome completo da mãe e CPF. Após esses passos, é preciso incluir todos os períodos de trabalho do segurado.

A data de início deve ser preenchida com a data do vínculo empregatício registrado na CTPS do segurado empregado ou a data de início da atividade, se for trabalhador autônomo. Já a data de fim é o final do vínculo ou da atividade. Para cada vínculo, é preciso preencher o campo e pressionar o botão “Adicionar”, que acrescentará aquele tempo à tabela de cálculo.

Após adicionar todos os vínculos, basta clicar na opção “Simular”. Antes disso, caso necessário, é possível selecionar algum vínculo para excluí-lo ou adicionar um período de afastamento que não contará como tempo de contribuição.

Por fim, ao executar a simulação, o site da Previdência gerará um demonstrativo da simulação do tempo de contribuição do segurado, apresentando um resumo dos tempos utilizados na situação e um quadro sobre as informações do cálculo. Esse quadro apresentará os seguintes dados:

  • tempo de contribuição até a data de realização da simulação;

  • tempo de contribuição até a Emenda Constitucional n°. 20/98;

  • tempo de contribuição até a lei n. 9876/99;

  • tempo a cumprir para aposentadoria integral;

  • somatória do tempo de contribuição e idade.

Isso é um breve resumo da simulação de aposentadoria. Contudo, é importante lembrar que pode haver diferentes normas para serem aplicadas na concessão da aposentadoria. Nesses casos, o ideal é consultar um advogado especializado no assunto para sanar as dúvidas em relação aos benefícios.

Simulação automática

É um tipo simulação do tempo de contribuição para fins de aposentadoria que se encontra disponível no portal Meu INSS. É possível que o segurado realize uma busca de todas as informações e vínculos existentes no sistema do INSS, os quais indicarão se tem direito à aposentadoria.

Vale ressaltar que esse procedimento apenas é um indicativo de possibilidade do direito à aposentadoria, não tem validade legal, pois tudo que for simulado e alegado deverá ser comprovado por meio dos documentos necessários, seja pela via administrativa ou judicial.

Simulação manual

Se porventura for constatada a falta de algum dos vínculos, o segurado poderá fazer a simulação de aposentadoria manualmente, se assim entender que é mais confiável. Esse procedimento poderá ser realizado no próprio site do INSS, na aba “simulações” e na opção “Calcular tempo de contribuição manual”.

O interessado deve ter em mãos todos os documentos necessários para fins de preenchimento dos dados, como a carteira de trabalho, guias de pagamento, carnês de contribuição e demais comprovantes. Assim, ele realizará a simulação e poderá constatar quanto tempo falta para se aposentar ou se já tem o direito à aposentadoria.

Simulação de valores

Para realizar esse cálculo, é preciso acessar a simulação e escolher a opção “Calcular valor de benefício”. Nessa página, constam as informações referentes às normas aplicáveis aos cálculos e os campos para preenchimento. Com os dados referentes ao tempo de contribuição em mãos, é possível calcular os seguintes benefícios, de acordo com a nova lei:

  • auxílio doença;

  • aposentadoria por invalidez;

  • aposentadoria por idade;

  • aposentadoria por tempo de contribuição;

  • aposentadoria por tempo de serviço de professor (até nível médio);

  • salário-maternidade.

Para saber em qual tipo de aposentadoria o segurado se encaixa ou qual é mais vantajosa, o ideal é consultar um advogado previdenciarista, que explicará a diferença entre cada uma.

Como fazer a simulação para saber a renda mensal inicial

Os trabalhadores que já cumpriram com os requisitos para se aposentarem e têm interesse em saber quanto receberá com o benefício podem realizar uma simulação no site do INSS. Embora não tenha validade legal, é importante para ter uma noção de quanto será auferido e para saber se é melhor aguardar mais um tempo para ter um benefício maior ao se aposentar.

Inicialmente, é necessário fazer o cadastro no portal Meu INSS. Tenha em mãos os seguintes documentos e informações:

  • CPF;

  • data de nascimento;

  • nome completo;

  • e-mail;

  • celular;

  • nome da mãe;

  • Estado em que nasceu.

Após fazer o cadastro, o segurado deve fazer login para acessar as opções. Em seguida, deve clicar em “Simulação de tempo de contribuição”, no qual surgirá informações atreladas aos vínculos de trabalho existentes. Em “Simular”, aparecerá todo o detalhamento referente ao tempo total de contribuição em anos, meses e dias. Ademais, na opção “Detalhar”, há também o período trabalhado em cada empresa.

É importante, para melhor efetivação da simulação, que seja acessado — no próprio site em destaque — o CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais), esse que é um extrato previdenciário no qual tem os detalhes dos vínculos de trabalho e das contribuições mensais. Para isso, é preciso clicar em “Extrato Previdenciário (CNIS)”.

Agora, com as informações do tempo de contribuição e os salários de contribuição, é possível simular a R.M.I (Renda Mensal Inicial). Acesse a opção “Calcular valor de benefício” e informe:

  • nome;

  • data de nascimento;

  • sexo;

  • tipo de benefício que pretende pedir;

  • tempo de contribuição atual em anos, meses e dias;

  • os salários de contribuição recebidos desde julho de 1994.

O próximo passo é preencher os dados referentes ao segurado e tempo de contribuição nos campos respectivos. Caso o segurado já tenha direito adquirido à aposentadoria integral, proporcional em data anterior ou igual a 16/12/1998, ou a partir desta data até 28/11/1999, é preciso preencher os campos correspondentes. Essa informação pode ser verificada realizando o cálculo do tópico anterior.

Após esses procedimentos, o segurado deverá preencher os campos referentes aos salários de contribuição de todos os meses e anos a partir de julho de 1994, que devem ser adicionados sem pontos ou vírgulas. Por exemplo, para o valor de R$ 2.500,25, basta digitar 250025.

Caso em algum mês não tenha contribuído por qualquer motivo, basta deixar o campo do referente em branco. Por fim, o segurado deve conferir todos os dados preenchidos para garantir que estão corretos. Para o cálculo, os salários de contribuição serão limitados ao teto, e os 20% menores serão excluídos.

Ao final, basta clicar em “Calcular renda mensal inicial” para ver o resultado da simulação de aposentadoria. Contudo, vale ressaltar que se trata apenas de uma simulação. Isso significa que o documento final não tem validade para comprovar em juízo o direito àquele valor de aposentadoria.

Tendo em vista todas as questões referentes aos cálculos e tempo de contribuição, o ideal é buscar um advogado especialista para tirar as dúvidas e auxiliar no pedido de aposentadoria.

Ainda ficou alguma dúvida em relação à simulação de aposentadoria? Quer dar sugestões ou pedir mais informações? Entre em contato conosco e veja como podemos ajudar!